A importância dos relatórios para tomada de decisões


Independentemente do ramo da empresa, manter-se ativo no mercado, com uma cartela de soluções para os clientes pode ser algo desafiador. No entanto, para as pequenas e médias empresas, o desafio de consolidar suas soluções no mercado, de modo a acarretar uma posição de prestígio, é ainda maior.

Pensando nesse contexto, o empreendedor que está buscando inserir-se no mercado, depara-se com baixo número de recursos para tomar decisões com precisão. Contudo, há uma estratégia que pode auxiliar os empreendedores nesse quesito, a dura missão de tomar decisões assertivas e estratégicas, sendo está, a proposta dos relatórios gerenciais.

Os relatórios, gerenciais podem ser um apoio fundamental ao gestor da empresa, em sua tomada de decisão, tendo como premissa, amenizar o risco em qualquer etapa do processo da empresa, buscando sempre o melhor direcionamento a ser seguido.

Hoje, o tema do nosso artigo busca explorar sobre essa estratégia que visa contribuir para alavancar as decisões assertivas do seu negócio. Boa leitura!

Mas afinal, o que são os relatórios para tomada de decisões?

De modo geral, podemos dizer que os relatórios atuam como uma ferramenta de tomada de decisões estratégicas, ou seja, por softwares computacionais, planilhas ou banco de dados da empresa, são gerados documentos, contendo as informações mais relevantes que o gestor precisar.

A premissa é que esses documentos não sejam apenas números, mas sim, um documento altamente organizado e uma linguagem compreensível. Utilizar relatórios gerenciais como ferramenta, mostra a situação atual da empresa, de modo, que sempre as informações estarão atualizadas. Com informações organizadas, prontas para auxiliarem na tomada de decisões, esse tipo de ferramenta, torna-se imprescindível para que os resultados e prospectivas sejam interpretados corretamente.

Além disso, os relatórios auxiliam na transparência de informações, sendo assim, o conhecimento através dos dados obtidos nos relatórios acerca da situação da empresa, sobre caminhos a serem seguidos e novas inserções de produto ou soluções no mercado, são compartilhadas com os demais colaboradores, de maneira objetiva.

Por que o relatório é importante?

Suponha que sua empresa esteja adotando uma nova prática de negócios, cujo objetivo é atrair mais clientes e, assim, expandir os negócios – afinal, expandir os negócios é uma situação muito comum entre os empreendedores, certo?! No entanto, para empresas que estão buscando um espaço no mercado, fica um pouco difícil saber se um novo produto está atingindo o público correto, se está sendo bem recebido, conforme o esperado.

O empreendedor ou gestor da empresa, deve parar e observar quais parâmetros devem ser utilizados para decidir por quais caminhos trilhar, se deve mudar o produto, se deve ajustá-lo ou parar de produzir. Então, é nesse momento, que os relatórios entram em ação, visto que, eles se apresentam como uma ferramenta estratégica importante, pois, eles representam tudo o que acontece na empresa, eles atuam como excelentes norteadores para aquele que precisa decidir referente a um setor ou em nome da empresa.

Sem o uso de um documento, como o relatório, as decisões seriam todas com base em suposições, atribuindo um aumento considerativo nas chances de erro, podendo levar o comprometimento do negócio. Sendo assim, se faz importante realizar relatórios com informações concisas e atualizadas, para que os colaboradores do negócio possam realizar a leitura e análise sobre o melhor caminho a ser seguido.

Como elaborar o relatório ideal para sua empresa?

Embora saibamos que os relatórios são importantíssimos no processo decisório, algumas empresas, de diferentes segmentos de mercado, encontram empecilhos, de modo que ainda não adotaram essa estratégia como ferramenta de trabalho, sendo a motivação quase sempre a mesma: “elaborar relatórios e detalhá-los ou explicá-los é uma tarefa muito difícil, desafiadora”.

Como mencionamos anteriormente, os relatórios não são apenas dados, a proposta deles vai, além disso, eles reúnem informações precisas e as comunicam. Em tese, um bom relatório possuir uma enorme quantidade de dados, permitindo assim, que analises sazonais sejam realizadas; dados confiáveis e atualizados com frequência; diferentes perspectivas para serem comparadas e analisadas.

Os relatórios são analisados segundo a interpretação dos números e informações contidas nele. Por exemplo, apenas registrar entradas e saídas da empresa em relação a um produto ou serviço, não é o suficiente, visto que, os dados isolados não fazem sentido. Contudo, se as métricas forem cuidadosamente triadas, dispostas em um relatório, seguindo uma linha do tempo e/ou comparadas com métricas de outros produtos ou projetos, torna-se possível tirar conclusões dessas informações contidas no relatório, principalmente, acerca do aumento gradual dos custos em um determinado período ou um projeto ser mais viável e lucrativo que outro.

Exemplo de modelo de relatório

Independentemente do tamanho da empresa, poderá haver mais do que um relatório no processo de tomada de decisão. A escolha depende das hipóteses que está sendo trabalhada, de modo a avaliar sobre o que precisa ser pensado e decidido. Há um exemplo clássico de relatório de gestão, como, por exemplo:

Demonstração do fluxo de caixa: este relatório tem a premissa de demonstrar a situação financeira da empresa, ou seja, com base no banco de dados da empresa, qual será a situação da mesma daqui a um curto período. O relatório de fluxo de caixa pode ser dito como o coração da gestão financeira da empresa, pois através dele é possível realizar a prospecção baseada nas informações do presente momento da empresa. Além de incluir todas as entradas e saídas da empresa. Com informações sobre a saúde financeira da empresa, é possível tomar decisões mais seguras.

9 visualizações0 comentário