top of page

Big Data: Você faz parte desta realidade.


Vivemos em uma era tecnológica, onde milhares de dados são gerados e transmitidos em um curto período. Sendo assim, podemos dizer que estamos vivendo na famigerada era da informação, visto que, tudo que fazemos gera algum nível de informação.

Mas o que fazer com esse grande número de informações? Como triá-las de maneira assertiva? No artigo de hoje, exploraremos o que é Big Data, de modo a responder essas e outras perguntas, principalmente como essa tecnologia é aplicada. Boa leitura!

Mas afinal, o que é big data?

Big data é uma palavra de língua estrangeira, cuja sua tradução livre refere-se a “grandes dados” ou “megadados”. É um termo da Tecnologia da Informação (TI) que lida com abundância de dados que precisam ser processados ​​e armazenados, o conceito de Big Data começa com 3 Vs: Velocidade, Volume e Variedade.

Podemos dizer que, big data é o esforço para extrair informações da abundância de dados. Mas não apenas extraindo, mas dando-lhes significado e usando isso para orientar a estratégia e a ação.

De outra perspectiva, atribuímos à big data o processo de analisar e interpretar a abundância de dados armazenados remotamente. Todo o conteúdo disponibilizado online de forma não confidencial, por mais informativo que seja, está no escopo da big data e pode ser agrupado conforme o interesse.

Big data pode integrar quaisquer dados coletados sobre um assunto ou uma empresa, como registros de compras e vendas, ou mesmo canais de interação não digitais. Apenas informações realmente sensíveis são excluídas, como suas transações financeiras e informações privadas de determinadas organizações.

Conceito e importância atrás da big data

Embora não pareça, mas o conceito de big data é mais antigo. Afinal, sistemas que lidam com enormes quantidades de dados não é novidade. Olhando para trás, em um contexto histórico, você se lembrará de que os britânicos inventaram máquinas para quebrar os códigos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Naquela época, com essa invenção, milhares de mensagens eram decodificadas em segundos. Dito isso, o conceito de Big Data já estava sendo empregado, no entanto, o termo em si, só tenha sido cunhado apenas em 1997.

Big data não é apenas uma ferramenta de volume de dados. Na verdade, é um mecanismo de análise estratégica. Isso ocorre porque, ao coletar, organizar e interpretar os dados obtidos, podem ser obtidos insights importantes sobre vários assuntos. Por exemplo, em uma empresa, o processo pode identificar oportunidades de negócios.

Big data é tão expressivo que deve concentrar a maioria dos investimentos em organizações comprometidas com a transformação digital.

Os pilares que dão sustentação ao Big Data

Antes de compreendermos quais são os pilares fundamentais para o conceito de big data, precisamos entender sua importância. Sendo assim, para que os dados se transformem em informações inteligentes, deve-se seguir um ciclo, composto por três ações principais:

  1. Integração: A primeira fase consiste em integrar as fontes de dados e extrair os volumes existentes. Neste ponto, os dados não foram refinados.

  2. Gestão: Em seguida, na fase de gestão, começa a organização e processamento para trazer os dados para a próxima fase, análise.

  3. Análise: É aqui que entra o verdadeiro entendimento dos dados. Uma análise muito detalhada, aliada à compreensão de cenários e padrões, leva a respostas úteis e expressivas.


Sabendo disso, exploraremos os pilares que dão sustentação as ações citadas anteriormente, que juntas, formam o conceito de big data.

Popularmente, há três principais pilares, conhecidos como os 3 Vs, sendo eles:


  • Volume: Big data não é sobre dados pessoais e sem expressão, ele contém grandes volumes de dados que são realmente relevantes e importantes para a tomada de decisões.

  • Velocidade: quando falamos de alto volume de dados, precisamos que a velocidade de coleta, organização e análise seja proporcional.

  • Variedade: não há uma única fonte de dados. A complexidade está em receber dados de lugares diferentes, muitas vezes em formatos diferentes, e extrair deles informações valiosas.


Entretanto, não se limita apenas isso, após alguns anos incrementaram mais alguns pilares para complementar o conceito, sendo eles:


  • Valor: é importante compreender a oportunidade da criação de valor que a big data possibilita com esses dados. Portanto, além da implementação, você também deve pensar nos benefícios que obterá para sua empresa utilizando o sistema de forma satisfatória. Assim, você pode criar oportunidades se souber o que fazer com as informações geradas.

  • Volatilidade: sabemos que o mercado sofre de instabilidade, ou seja, estão sempre sofrendo modificações, com as informações não é diferente. Portanto, as informações podem mudar à medida que surgem novas tendências. Se conseguirmos arrecadar essas informações imediatamente e fazer uma boa arguição, é possível compreendermos os processos instáveis ​​que estão ocorrendo e seus motivos, recorrendo a big data.

  • Veracidade: em meio a tantas informações falsas circulando pela internet, infelizmente não podemos impedir que informações incorretas entrem neste sistema. No entanto, a análise é tão eficiente que esses dados errôneos podem ser distinguidos e eliminados, gerando resultados altamente confiáveis.

Podemos ainda inserir um sétimo V na lista de pilares de big data.

  • Visualização: Quanto mais dados forem apresentados de maneira sistemática e organizada, mais dados você poderá usar para gerar melhores resultados de negócios. Portanto, é fundamental pensar sobre esse tema.

Qual profissional está por trás dessa tecnologia?

Para quem deseja trabalhar com big data, tenha em mente que irá estudar muito, pois para manipular essa tecnologia exige muito conhecimento. Abaixo podemos conferir alguns profissionais competentes para executar essa ferramenta.

  • Administrador: Este profissional, chamado de administrador de banco de dados ou DBA, é o responsável pelo gerenciamento do banco de dados. Portanto, é seu trabalho configurá-lo, monitorá-lo e atualizá-lo, se necessário.

  • Desenvolvedores: Os desenvolvedores de banco de dados são responsáveis ​​pela programação e especificação. É uma forma de escrever e revisar o código, o que também facilita os testes.

  • Cientista ou Analista de Dados: Este personagem faz toda a análise para obter informações. Portanto, ele pode interpretar os dados disponíveis.

Perspectivas e desafios na utilização de big data

A utilização de big data permite uma ampla variedade de aplicações, dependendo das atividades, setores e objetivos da empresa. No entanto, existem práticas essenciais para qualquer negócio.

Para melhor entender e prever tendências nos mercados em que empresas operam; para compreender perfeitamente o seu público-alvo e propor soluções adequadas e/ou personalizadas; também se emprega a ferramenta para agilizar processos para reduzir riscos e etapas desnecessárias.

Investir em análise de dados melhora drasticamente a qualidade e a precisão do seu negócio, torna seu negócio mais saudável e lucrativo e transforma a maneira como você aborda a tomada de decisões. Colocando-o em posição de destaque no mercado, na hora de atrair mais clientes.

9 visualizações0 comentário
Post: Blog2_Post
bottom of page