Desafios da ergonomia no home office


Em 2020, ainda no primeiro trimestre fomos surpreendidos com uma pandemia decorrente a síndrome gripal Covid-19. De modo a conter a proliferação do vírus, empresas adotaram o método de trabalho remoto, o que trouxe inúmeros desafios.

Hoje, após pouco mais de um ano e sete meses desde o início da pandemia e com o avanço da vacinação, muitas empresas começaram a retomar suas atividades presenciais. Entretanto, há empresas que optaram por permanecer no regime home office ou adotaram a prática de trabalho remoto como política da empresa, sendo assim, é muito importante garantir que seu quadro de colaboradores tenha condições adequadas de trabalho.

Pois, sabemos ser papel da empresa oferecer aos colaboradores condições dignas e adequadas de trabalho, porém ao tratar-se do trabalho remoto, ainda cabe a empresa instruir seus colaboradores sobre a importância de manter um ambiente de trabalho organizado e seguro, de modo que não ofereça nenhum tipo de risco ao colaborador.

Entretanto, um dos maiores desafios das empresas é proporcionar aos seus colaborados uma ergonomia adequada durante o home office, de modo a garantir que os mesmos possam realizar suas tarefas sem colocar a saúde física em risco.

Pensando no bem-estar dos inúmeros colaboradores que estão desenvolvendo suas atividades a distância, no artigo de hoje, vamos abordar sobre a importância da ergonomia durante o trabalho remoto. Boa leitura!

Mas afinal, o que é ergonomia?

Resumidamente, a ergonomia é uma norma regulamentadora, baseada na área de estudo onde busca fornecer as adaptações necessárias para que os colaboradores em seu ambiente de trabalho, de modo que possam realizar suas atividades de maneira adequada, segura e eficiente. Para garantir um ambiente de trabalho adequado aos colaboradores, a ergonomia considera alguns fatores primordiais, tais como, características físicas, fisiológicas e psicossociais dos colaboradores e características do ambiente de trabalho. Além de avaliar questões organizacionais que influenciam diretamente na produtividade.

Com base na NR-17, podemos dizer que a ergonomia visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Podemos subdividir a ergonomia em 3 áreas, principalmente quando aplicadas ao trabalho remoto, visam garantir ao colaborador que realize suas atividades de modo seguro e adequado.

Ergonomia física: nessa subdivisão deve-se considerar os aspectos físicos do ambiente de trabalho, como, por exemplo, a iluminação do ambiente, temperatura, ruído e a qualidades dos equipamentos e/ou ferramentas utilizadas para realizar as atividades.

Ergonomia organizacional: nesse aspecto, as questões como rotina de trabalho, demanda de tarefas deve ser avaliadas conforme os processos e políticas internas da empresa, de modo a garantir que os mesmos se enquadrem nas especificações do trabalho remoto.

Ergonomia cognitiva: essa subdivisão é mais delicada, pois envolve as questões psicossociais, pois cabe a empresa adotar medidas que reduzam o estresse e a ansiedade dos colaboradores. Pois, um colaborador atuando em um ambiente onde a ergonomia cognitiva não está alinhada, pode afetar diretamente nas tomadas de decisões e produtividade do mesmo.

Qual a importância da ergonomia?

A ergonomia está associada ao ambiente de trabalho adequado para o exercício da função, ou seja, o local de trabalho deve proporcionar um equilíbrio entre a saúde física, mental e a produtividade dos seus colaboradores.

É por isso que existe a NR-17, ela torna-se importante para garantir que os colaboradores tenham condições adequadas às características psicofisiológicas para realizarem sua rotina de trabalho com conforto, segurança e bom desempenho.

Estudos apontam que um dos principais índices de baixa produtividade no ambiente de trabalho está associado ao desconforto do funcionário. O desconforto pode ser decorrente de condições inadequadas ao corpo e a mente no ambiente de trabalho.

Há diversos fatores que podem tornar o ambiente de trabalho nocivo tanto para saúde física, como para saúde mental do colaborador. Alguns desses fatores são iluminação inadequada, cadeira desconfortável, ambiente com muito ruído, entre outros. Embora esses fatores citados acima pareçam simples, eles possuem impacto direto na capacidade cognitiva dos colaboradores.

Os danos não permeiam apenas a integridade mental, mas também se tornam nocivos à saúde física, ambienteis com altos índices de ruídos pode ocasionar uma perda de audição temporária e/ou permanente, posturas inadequadas por falta de equipamento de escritório adequado, gera dano a coluna e diversos outros distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho.

Em virtude desses fatores que implicam na rotina de trabalho, é indispensável adotar medidas preventivas para garantir um ambiente de trabalho integro de modo a exercer suas atividades com excelência.

Desafios da ergonomia aplicada ao home office

Como mencionamos anteriormente, a ergonomia é válida tanto para o trabalho na empresa, como para quem está desenvolvendo suas atividades remotamente, entretanto, a falta de ergonomia no home office pode proporcionar um ambiente de trabalho inadequado.

Visto que um dos principais problemas de ergonomia atrelado ao trabalho remoto está relacionada a má postura e as distribuições das horas dedicas às atividades laborais. Ocorrendo assim, sobrecarga nas articulações, tensões musculares, cansaço físico e mental, dores de cabeça e fadiga ocular.

Denominam-se desafios do home office, pois dificilmente as instalações residenciais estão adaptadas para receber uma rotina de trabalho, onde a distração pode ser um fator determinante que interfere no nível de rendimento do colaborador, rendendo menos que o esperado.

Como melhorar a ergonomia durante o trabalho remoto?

Com base na Norma Regulamentadora – NR-17, abaixo encontram-se algumas maneiras de melhorar a ergonomia durante o exercício do trabalho remoto:

  1. Mantenha-se sempre com a coluna ereta, apoiando as costas totalmente no encosto da poltrona e/ou cadeira. De modo a garantir estabilização e conforto a coluna;

  2. Mantenha o monitor posicionado na altura dos olhos. Deste modo, evita-se tensão na região cervical;

  3. Posicione os cotovelos em um ângulo de 90º e os apoie nos braços da poltrona e/ou cadeira. Alinhe os antebraços a mesa, mantenha punhos, braços e ombros em posição neutra, desta forma garante que os membros superiores estejam alinhados e relaxados;

  4. Mantenha os joelhos posicionados em um ângulo de 90º, está posição favorece a circulação sanguínea dos membros inferiores;

  5. Importante manter os pés sempre apoiados totalmente ao chão. De modo a garantir uma postura mais adequada;

  6. Levante-se, alongue-se e caminhe sempre que possível. Pois, é de extrema importância que o colaborador faça uma pequena pausa de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados.

Benefícios da ergonomia

Quando se aplica os conceitos da ergonomia pode trazer inúmeros benefícios aos colaboradores e até mesmo a empresa, a seguir separamos alguns benefícios que a ergonomia propõe:

  1. Uma aliada a evitar doenças ocupacionais;

  2. Está fortemente relacionado ao aumento de produtividade;

  3. Contribui para que o colaborador não desenvolva distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho;

  4. Contribuir para o aumento da sensação de bem-estar físico e mental do colaborador.

34 visualizações0 comentário