Industria 4.0


A evolução tecnológica vai além de impactar positivamente a vida das pessoas, ela tem contribuído muito para o desenvolvimento de novas soluções no âmbito industrial, trazendo resultados positivos que beneficiam e aperfeiçoam o setor.

Através de tecnologias avançadas, como, inteligência artificial, Big Data, internet das coisas, entre outras. Vem surgindo um novo modelo de indústria, mais moderno, mais produtivo, sendo considerada a Quarta Revolução Industrial, ou então, o que chamamos de Indústria 4.0.

Esse conceito da nova indústria vem ganhando espaço no Brasil e no mundo, traz consigo a premissa de inovar o setor, principalmente por recorrer a tecnologias avançadas através de maquinas inteligentes e computadores para automatizar e revolucionar a forma e as etapas de produção, propondo vantagens significativas para empresa. Visando a eficiência no uso de recursos e a produção em larga escala.

No texto de hoje, vamos explorar sobre a temática, de modo a compreender o quanto o conceito de indústria 4.0 pode impactar positivamente o setor industrial no país e no mundo. Boa leitura!


Mas afinal, o que é a Indústria 4.0?

A indústria 4.0 nada mais é do que um conceito que tem como premissa a automação e integração do setor industrial através de diferentes recursos tecnológicos, ou seja, esse conceito engloba tudo que há de mais moderno para produção, sendo elas, a internet das coisas (IoT), big data, inteligência artificial, computação em nuvem, entre outros.

De modo geral, podemos dizer que o conceito de indústria 4.0 é um processo de continuação do aprimoramento das máquinas, processo esse que se inicia na primeira revolução industrial no final do século XVIII.

Contudo, a quarta revolução industrial, tem como principal objetivo transformar as fábricas em indústrias inteligentes, através de sistemas modernizados que comunicam entre si e com os funcionários, sendo capazes de tomar decisões mais assertivas. Além disso, nas indústrias 4.0 a internet das coisas e a computação de nuvem auxiliam na organização da empresa, visando sempre o melhoramento significativo dos processos de produção e consecutivamente, um aumento positivo na produtividade.

Sem contar que, além do aumento de produtividade de processos na linha de produção, as tecnologias utilizadas para modernização do setor industrial trazem diversas oportunidades para agregar valores aos clientes.


Origem do conceito indústria 4.0

O conceito indústria 4.0 é dado como continuidade da revolução industrial que teve início no século XVIII e a conhecemos pela Primeira Revolução Industrial, onde os métodos de produções artesanais que recorriam à força animal passam por um processo de transição para novos meios de manufatura através de maquinas. Trazendo mudanças radicais para a população com o surgimento de máquinas e motores a vapor, além da mecanização da indústria têxtil e o surgimento das ferrovias.

Ao final do século XIX surge o que chamamos hoje de Segunda Revolução Industrial contando com o aprimoramento das tecnologias desenvolvidas durante a primeira revolução. Contudo, há um marco importantíssimo durante a segunda revolução, sendo ele a energia elétrica.


Em meados do século XX, após a Segunda Guerra Mundial começa a se desenhar a Terceira Revolução Industrial, também conhecida como Revolução Técnico-científica, compreendendo o maior avanço tecnológico até então, não só abrangendo o setor industrial, como também se voltou benévola ao campo científico. Contando com recursos computacionais e o surgimento da internet.

Por fim, o conceito de indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial, é mais recente, originado através de um documento do governo alemão em 2010. Sendo sua premissa, toda automatização da manufatura do setor industrial, com auxílio de tecnologias de ponta, tal como, inteligência artificial, de modo que as maquinas possam ser operadas sem intervenções humanas.


Princípios da indústria 4.0

Após o surgimento do conceito em 2010, o governo alemão se encabeçou na criação de um relatório visando o planejamento e implementação da indústria 4.0. Contudo, neste relatório constam seis princípios que descrevem a indústria 4.0, sendo eles:


Tempo real – com a capacidade de coletar e tratar dados em tempo real permite com que a tomada de decisões seja mais assertiva, baseada em novas informações obtidas através dos dados coletados.


Virtualização – esse princípio propõe que através de sensores espalhados pela linha de produção seja criada uma cópia virtual da fábrica. Sendo possível realizar o monitoramento dos processos de forma remota.


Descentralização – propõe que a própria maquina tenha autonomia para tomada de decisões de modo independente, partindo do princípio de que a mesma possa avaliar as necessidades em tempo real, atuando na solução do problema assim que ele surge.


Modularidade – consegue se adaptar conforme as demandas, esse princípio gira em torno da flexibilidade das tarefas, criando módulos seguindo as necessidades da fábrica sem grandes impactos.


Interoperabilidade – parte do conceito de internet das coisas (IoT), de modo a garantir que as informações sejam trocadas entre os sistemas das máquinas fazendo que os sistemas se comuniquem entre si e até mesmo a comunicação com as pessoas.


Orientação a serviços – parte do pressuposto em que softwares programados oferecem soluções e serviços personalizados para fábrica.


As principais tecnologias utilizadas pela Indústria 4.0

Citamos brevemente no decorrer do texto algumas das tecnologias utilizadas pela indústria 4.0, entretanto, a combinação de múltiplas tecnologias podem gerar resultados satisfatórios para diversas etapas da cadeia de produção. Por isso, nesse tópico vamos abordar a real papel de cada uma delas.


Inteligência Artificialestá voltada para realizar análises avançadas, recorrendo a recursos lógicos, onde maquinas são capazes de aprender interpretar eventos e analisar tendências e comportamentos do sistema para automatizar as decisões que se façam necessárias sem à intervenção humana.


Big Dataessa tecnologia é voltada para atuar com enorme quantidade, variedade e complexidade de dados, que chegam em tempo real, dados estes que são utilizados para obter soluções e otimizar a qualidade de produção. Vale salientar que softwares tradicionais de processamento de dados não conseguem comportá-los e gerenciá-los. Por isso, se recorre ao big data, que além de lidar com enormes volumes de dados, usa modelos estatísticos para analisar e extrair informações relevantes.


Cloud computing- com tecnologias mais ágeis, a indústria 4.0 precisa da computação de nuvem para armazenar e compartilhar informações, além de obter respostas rápidas, permitindo a conectividade entre sistemas e o acesso de qualquer localidade com mais agilidade e menor custo.


Cyber segurança – como a indústria 4.0 usa diversos sistemas interligados entre si, se faz necessário um conjunto de infraestruturas voltadas para segurança das informações geradas, ou seja, sistemas sofisticados que gerenciam e garantem comunicações seguras.


Robótica – está associada aos dispositivos que agem de forma autônoma, interagindo fisicamente com o ambiente de trabalho e até mesmo com pessoas. Além de serem capazes de modificar suas ações com base em informações captadas pelos sensores.


Internet das coisas (IoT)a internet das coisas está associada a interconectividade dos objetos, organizada em redes capazes de se comunicar e interagir. Resultando em um aumento significativo de eficiência.

Vantagens da indústria 4.0

Como pudemos ver ao longo desse texto, a quarta revolução industrial vem para otimizar a manufatura, tornando-a mais inteligente, rápida e eficiente, tudo isso com auxílio de tecnologias avançadas.


Embora otimizar a manufatura por si só seja uma excelente vantagem dá indústria 4.0, ela conta com outros pontos positivos, sendo eles: inovações nos métodos de negócio; customização de sistemas; confiabilidade; baixos custos de produção; flexibilidade, maior produtividade, entre outros.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo