O impacto da falta de semicondutores na retomada das indústrias


A falta de insumos vem se tornando uma dificuldade enorme para a retomada das indústrias, nos mais diferentes setores, principalmente o setor automobilístico e de eletrônicos. Engana-se quem pensa que a escassez de insumos, como os semicondutores utilizados principalmente para fabricação de celulares, notebooks e automóveis seja algo local, a crise permeia ao nível global.


Devido à alta demanda de componentes eletrônicos, diferentes empresas, como, por exemplo, do setor automobilístico vêm sinalizando e encontrando problemas para continuar com a produção de seus automóveis decorrente a falta de suprimentos.


No Brasil, por exemplo, a Honda anunciou em fevereiro que iria suspender temporariamente a fabricação de um modelo de automóvel da sua linha de produção, decorrente a dificuldade para encontrar semicondutores, suprimento essencial para fabricação do mesmo.


Entenda o que são semicondutores

Hoje em dia, quase tudo no nosso cotidiano tem em sua composição um ou mais semicondutores, isso ocorre porque o início de todos os componentes eletrônicos de dá a partir dessas pequenas peças que chamamos de semicondutores.

O que da vida a toda tecnologia moderna que podemos usufruir hoje, é proveniente dos semicondutores. Mas como isso é possível? Vamos explicar de forma simples, todos os componentes, circuitos integrados, microchips, transistores e uma gama de sensores presentes em aparelhos eletrônicos e automóveis são produzidos com materiais semicondutores.

Os semicondutores são sólidos que possuem alta capacidade mudar sua condição de isolante para condutores com enorme facilidade. Os principais semicondutores são feitos de silício ou germânio, amplamente utilizados para produção de componentes eletrônicos.

A premissa dos semicondutores é que eles funcionam de dois modos, tanto como condutores de energia ou como isolantes, para determinar como o mesmo age, depende da tensão elétrica que será aplicada em seus terminais.


A disputa pelos semicondutores

Uma peça tão pequena tem implicado na retomada das indústrias, devido à falta, os semicondutores vêm travando uma verdadeira disputa entre diferentes setores. Essas pecinhas tão pequenas são o componente principal e essencial para produção de chips, componentes eletrônicos que contribui para tornar tudo mais tecnológico, desde os equipamentos eletrônicos até veículos, sendo capaz contribuir de maneira positiva para o dia-a-dia.

Mas acontece que, os semicondutores, que é a matéria-prima para fabricação de chips eletrônicos, estão em falta no mundo inteiro. De acordo com especialistas, a produção dos semicondutores ocorre principalmente no continente asiático, e a região passou por um forte período de estiagem, o que resultou na dificuldade em manter a produção em dia, visto que, para fabricação há uma demanda enorme de água.

O primeiro setor da indústria que sentiu o impacto com a falta dos semicondutores, foi o automobilístico, pois, os semicondutores são componentes essências para fabricação dos modelos mais atuais de automóveis, para termos uma noção, são necessários cerca de 300 semicondutores nos automóveis mais modernos, e sem eles, o carro não sairia do lugar.


O impacto da pandemia na escassez dos semicondutores

Em virtude da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e o seu agravamento sucessivamente, algumas montadoras de automóveis optaram por suspender a produção de veículos, dado que, num cenário de crise sanitária como estamos enfrentando desde março de 2020, não há necessidade em andar de carro zero, diante de outras prioridades.

Por outro lado, também em virtude da pandemia, houve um aumento na procura por equipamentos eletrônicos, tal como, notebooks, smartphones mais modernos, visto que o trabalho em regime home office tornou uma saída para muitas empresas não cessarem suas atividades.

Consecutivamente, mesmo com a preferência na fila de compra, o setor eletroeletrônico passou a demandar de um número maior de semicondutores, para continuar atendendo a alta procura por equipamentos eletrônicos. E com isso, também sentiu com a falta do insumo para continuar a produção e atender a procura no mercado.


Outros fatores que levaram a crise dos semicondutores

Na última quinzena de março, um incêndio atingiu uma das principais fábricas de semicondutores do mundo, a Renesas Electronics, localizada em Tóquio no Japão. Evento este, que levou ao agravamento da falta de semicondutores ao nível global. Indústrias que já vinham enfrentando a escassez de semicondutores por conta da pandemia passaram esperar um mês até que a fábrica pudesse entregar os chips.

Conforme o fabricante, o incêndio causado na fábrica atingiu principalmente o setor automotivo. Contudo, o impacto causado pelo incêndio também fechou até os fabricantes de smartphones e demais equipamentos eletrônicos. Resultando em um atraso significativo na produção dos mesmos.


Impactos negativos no mercado

A pandemia por si só é um agravante negativo paras as indústrias. Contudo, a falta de material afeta diretamente as linhas de produções, resultando em atrasos para entrega de produtos e até mesmo redução. Além disso, acaba impactando diretamente para suspensões de contratos, resultando em milhares de empregos perdidos.

De acordo com uma das maiores fabricantes de eletrônicos, a Samsung Electronics, diz que a falta dos semicondutores pode impactar diretamente na redução das vendas de novos smartphones.

Outro impacto negativo decorrente a falta dos semicondutores é o aumento nos prazos em que os produtos chegaram ao mercado, além disso, haverá um reajuste nos preços, tornando-os mais caros.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo