O que são NFTs?


Em 2021, os NFTs passaram a ganhar um certo destaque no mundo dos criptoativos, tornando-se uma verdadeira tendência para os entusiastas do universo cripto. Para termos uma base, houve um aumento expressivo de 55% nas vendas dos NFTs em relação ao ano anterior, 2020. Além disso, com toda essa popularização e oscilação, segundo a DappRadar, o volume de vendas dos NFTs movimentou mais de 13 bilhões de dólares.

Para o ano de 2022, especula-se que o volume de vendas de NFTs possa expandir ainda mais, visto que nas últimas semanas, o assunto voltou a ganhar destaque na mídia após famosos e atletas comprarem os tokens não fungíveis, movimentando mais de 535 milhões de dólares em uma única semana.

Após essas informações, talvez você esteja se perguntando o que são NFTs, certo?! Pensando em responder essa pergunta, o assunto do nosso artigo de hoje irá abordar essa temática que vem causando grande impacto no mundo dos criptoativos. Boa leitura!

Mas afinal, o que são NFTs?

NFT é a sigla para palavra de língua estrangeira non-fungible token, em tradução livre para o português corresponde a token não fungível. De modo geral, podemos mencionar que a tecnologia por trás dos tokens não fungíveis une dois termos destintos, que ao serem combinados, resultam nos NFTs.

Para entendermos melhor o que são NFTs, vamos precisar conhecermos esses termos que as compõe, separadamente. O token, de grosso modo, são compostos por códigos numéricos que atuam como um registro de transferência digital que garantem autenticidade aos seus proprietários.

No mundo das criptomoedas, o token fará a representação digital de um ativo, tal como, dinheiro, propriedade ou obras de arte, registrado através de uma blockchain. De modo geral, podemos inferir que se uma pessoa tem o token de uma obra de arte, de uma propriedade ou de uma quantia de dinheiro, significa que ela tem direito a parte ou posse integral desse “bem”.

Outro termo importante que aparece na tecnologia dos NFTs é o termo fungível, sabemos a definição literal de algo fungível, é podem ser substituídos outro da mesma espécie, quantidade ou qualidade, como, por exemplo, o dinheiro de papel é um exemplo de algo fungível, que pode ser “trocado”.

No entanto, o termo que aparece nos NFTs é não-fungível, ou seja, isso nos diz sobre algo que não é fungível, que não pode ser trocado por outro da mesma espécie, quantidade ou qualidade, principalmente, por tratar-se de algo único, exclusivo.

Portanto, podemos inferir que NFTs é uma sequência de códigos numéricos, que funciona para autenticação digital para algo específico e exclusivo, não podendo ser substituído.

Os NFTs podem ser literalmente, qualquer coisa no mundo digital, desde arte digital, itens em jogos de virtuais, colecionáveis digitais, terrenos virtuais, entre outros. Sendo assim, um NFT representa uma categoria de certificado digital de atributo, onde qualquer um pode ver e comprovar a autenticidade, no entanto, ninguém pode alterar esse token.

Como funciona os NFTs?

Sabemos que os NFTs são tokens compostos por uma sequência de códigos utilizados para autenticar um ativo digital único. Esses tokens são gerados a partir da tecnologia de criptografia, que utilizam padrões, tal como, por exemplo, o ERC-721, desenvolvido para ser usado na rede Ethereum — uma plataforma que baseada na tecnologia de blockchain, semelhante às utilizadas por criptomoedas.

Alguns desses padrões são utilizados para comercializar obras de arte, ou como é chamada no universo cripto, criptoarte. Esse processo ocorre com a aplicação de um token não fungível, fazendo com que o arquivo se transforme em um item exclusivo, colecionável, onde a posse do arquivo pertence ao proprietário do token.

Os tokens não fungíveis são altamente seguros e invioláveis, por isso, vem surgindo um grande interesse por esse universo dos NFTs.

Como adquirir NFTs?

Para adquirir um token não fungível, primeiramente o comprador precisa ter uma carteira digital de criptomoedas e carregá-la com a moeda virtual, isso porque, a comercialização dos tokens ocorre por transações com criptomoedas. Geralmente, os NFTs estão localizados em um marketplace exclusivo, onde o comprador pode explorar os ativos disponíveis para compra, como, por exemplo, criptoarte, músicas, colecionáveis, nomes de domínio, fotografias, entre outros.


Ao escolher o ativo desejado, o comprador pode ter até três maneiras de adquirir o “produto” deseja, sendo através da compra direta por um preço fixo, leilão ou caixa misteriosa. Quando ocorre por compra direta, o comprador que efetuar a compra e receberá o token de autenticidade, tornando-se então, por exemplo, proprietário de um criptoarte.


Qualquer pessoa pode criar NFTs?

Sim, aparentemente qualquer pessoa pode criar um token não fungível. E essa criação pode surgir a partir de qualquer coisa. Porém, é importante ter em mente que criar um NFT tem gastos, segundo pesquisas em sites especializados, o interessado em criar um NFT precisa desembolsar, em média, 70 dólares, cerca de, 368 reais.

Há 6 passos importantes a serem seguidos para criação de um NFT, sendo eles:


  1. A escolha da plataforma que será utilizada;

  2. Criação e configuração da carteira digital de criptomoedas;

  3. Realizar a transferência de dinheiro para carteira digital para custear o valor da criação do NFT — os 70 dólares que citamos acima;

  4. Selecionar a plataforma que atuara como marketplace para vender sua NFT;

  5. Realizar o upload do arquivo no qual quer transformá-lo em NFT;

  6. Por fim, precifica-lo, podendo ser um valor fixo para compras diretas ou por leilão.

6 visualizações0 comentário