Os desafios da inteligência artificial


Estamos vivendo em uma era marcada pela expansão tecnológica, principalmente quando o assunto é inteligência artificial. Hoje contamos com a existência diferentes dispositivos que usam a inteligência artificial, que podem ser utilizados na indústria para auxílio no setor de produção, até mesmo dispositivos domésticos que podemos controlar com comando de voz, mas mesmo assim, ainda há muito o que se explorar no campo da inteligência artificial.

Conforme o pesquisador Mayank Kejriwal da Universidade do Sul da Califórnia, um dos principais desafios no campo da inteligência artificial é desenvolver algoritmos de como que as máquinas desenvolvam bom senso.

Visto que para o dispositivo eletrônico interagir de forma inteligente como nós, humanos, os softwares responsáveis por dar vida a esses dispositivos são carregados de códigos e de um grande conjunto de equações, tais códigos e equações resultam em respostas e estímulos pré-programados. Um grande exemplo disso, são os dispositivos Echo da Amazon. Eles são programados para interagir com o usuário através do comando de voz, como, por exemplo informar que horas são, quantos graus está fazendo naquele momento, entre outras respostas e comandos direcionadas aos bancos de dados que alimentam o software do dispositivo.

A inteligência artificial e os seus desafios são o tema do nosso artigo de hoje. Boa leitura!

Mas afinal, o que é inteligência artificial?

Como foi dito anteriormente, estamos vivendo a era da inteligência artificial, entretanto, não podemos deixarmos de falar o que é de fato a inteligência artificial, pois esse assunto ainda é relativamente novo e vem expandido cada vez mais.

A palavra inteligência artificial vem da tradução da palavra de língua estrangeira artificial intelligence, no que lhe concerne, representada por sua sigla IA.

De modo geral, a inteligência artificial é uma tecnologia que através de estudos acadêmicos no campo da ciência da computação, permitiu que softwares computacionais conseguissem simular a capacidade cognitiva humana, ou seja, os pesquisadores desta área do conhecimento definem a inteligência artificial como a capacidade do sistema para interpretar dados externos, aprender através destes dados e a partir desses dados realizar tarefas específicas.

Contudo, podemos dizer que através de um enorme banco de dados, códigos e conjunto de equações, a inteligência artificial consegue realizar ações de forma autônoma. Visto que, a premissa da inteligência artificial é que máquinas e outros dispositivos eletrônicos através de softwares, possam desenvolver e simular a capacidades humanadas ligadas a inteligência, tal como a percepção do ambiente, raciocínio e a habilidade para tomada de decisões diante de situações adversas de maneira racional.

Quais são as tecnologias que estão por trás da inteligência artificial?

Sabemos que a inteligência artificial pluridisciplinar, por isso há diferentes tecnologias que contribuem diretamente para a evolução neste campo.

Machine Learning: é o aprendizado das máquinas, neste aprendizado está envolvido o método de avaliação de dados que automatizam o desenvolvimento de padrões analíticos. Com a premissa de que sistemas computacionais podem aprender usando dados, sendo através destes dados, a busca por descobrir padrões, realizar funções e tomar decisões com pouca interferência humana.

Deep Learning: é a tecnologia de aprendizagem profunda das máquinas. São nelas estão envolvidas as redes neurais artificiais, utilizadas para a identificação de padrões através de enormes conjuntos de dados. A tecnologia deep learning é responsável por programar máquinas para executarem tarefas como se fossem seres humanos. Um grande exemplo desta tecnologia é permitir que máquinas realizem o reconhecimento de imagens e reconhecimento de voz, através do processamento de dados.

PLN: através do emprego de softwares e programação, o processamento de linguagem neural procura reproduzir o processo de desenvolvimento atrelados ao funcionamento da linguagem humana. Sendo assim, por intermédio do PLN, as máquinas têm melhor capacidade para compreender textos, ou seja, elas podem reconhecer o contexto inserido no texto, realizar extração de informações que julga ser necessárias, redigir resumos, tal como nós humanos realizamos. Além disso, através de bancos de dados, o PLN permite que textos sejam redigidos.

Desafios da inteligência artificial

Segundo o pesquisador Mayank Kejriwal, um dos maiores desafios da inteligência artificial está relacionado ao desenvolvimento de bom senso, o mesmo que nós seres humanos temos. Visto que o bom senso é uma condição natural, não pré-determinada, ou seja, ela não é ensinada de modo formal, isso é valido para nós humanos também. Nós adquirimos essa habilidade atrás do convívio em sociedade e através de outros fatores terminantes, tal como, conhecimentos abstratos e o tempo.

Por isso, para o pesquisador calcular o bom senso das máquinas é um enorme desafio, entretanto, há pesquisas sendo desenvolvidas em diversas instituições para “ensinar” essa habilidade as máquinas.

A Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos EUA lidera o programa de pesquisa sobre Machine Common Sense, esse programa reúne esforços colaborativos entre pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia, Massachusetts Institute of Technology, da Stanford e do Instituto Politécnico Rensselaer, com a pequisa Multi-modal Open World Grounded Learning and Inference (MOWGLI) com intuito de pesquisar e desenvolver a habilidade de bom senso das máquinas, através da construção de um sistema computacional capaz de responder um amplo conjunto de questões relacionadas ao senso comum.

Com a inteligência artificial avançada de aprendizagem profunda, possibilita a modelagem da linguagem natural altamente satisfatório, permitindo responder algumas questões simples sobre bom senso. Sendo esse, um dos grandes passos para permitir que máquinas consigam estabelecer uma comunicação de forma mais humanizada. Entretanto, pesquisadores seguem se desafiando sobre tal habilidade através do surgimento de novas questões um tanto quanto filosóficas, de modo a pensar o que é de fato bom senso? Como é possível saber se as máquinas de fatos estão adquirindo essa habilidade? As respostas para essas perguntas ainda são abstratas.

De modo geral, podemos dizer que a inteligência artificial é um campo do conhecimento que carece de muita pesquisa, estudo e atenção, entretanto, para o pesquisador Mayank Kejriwal, o bom senso está relacionado a diversas variantes e caminhos de aprendizado que é impraticável por máquinas, por isso não há como determinar quando será possível calcular o bom senso de uma máquina de modo que o resultado seja satisfatório. Por fim, não podemos prever como será esse bom senso em um determinado intervalo de tempo.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo