Os perigos de conectar dispositivos em redes Wi-Fi aberta


Atualmente, é muito comum encontrarmos diversas redes Wi-Fi aberta em locais públicos, tais como shoppings, aeroportos, lanchonetes, unidades de saúde, etc. Possibilitando que usuários com dispositivos móveis tenham fácil acesso à internet no local onde estão, compartilhar mensagens e fotos em redes sociais, de forma gratuita, sem ativar os dados móveis da operadora de telefonia.

No entanto, muitas pessoas desconhecem que por serem redes públicas, muitas vezes o nível de proteção da rede de Wi-Fi desses locais não é tão seguro, sendo assim, permite qualquer pessoa possa se conectar à rede, inclusive pessoas mal-intencionadas.


Pensando na segurança de nossos leitores, o tema de hoje é sobre os eventuais perigos de se conectar a uma rede de Wi-Fi aberta. Boa leitura!

O que é Wi-Fi?

Antes de adentrarmos sobre as eventuais vulnerabilidades por trás das redes públicas de internet, nos cabe fazer uma breve contextualização sobre o que é a tecnologia que nos permite ficar conectado com a internet.

De modo geral, a título apenas de contextualização, podemos inferir que o prefixo Wi-Fi é uma tecnologia de rede sem fio, ou seja, através dessa tecnologia que os computadores, smartphones, impressoras, câmeras de vídeo, entre outros dispositivos se conectem à internet. Sendo por intermédio dessa conexão sem fio que diferentes dispositivos são interconectados criando uma rede.

Todavia, a conectividade com a internet fica a cargo de um roteador sem fio, sendo assim, quando o usuário se conecta ao Wi-Fi, ele, na verdade, está se conectando com um roteador ou modem sem fio, permitindo o acesso dos dispositivos compatíveis com a tecnologia Wi-Fi se conectem à internet. Essa conectividade ocorre através de um conjunto de técnicas específicas para a composição da rede sem fio, baseando-se no padrão IEEE 802.11, por exemplo.

Mas afinal, quais os riscos em se conectar a uma rede Wi-Fi aberta?

Para quem tem mais familiaridade com a temática, sabe que as redes sem fio possuem alguns tipos protocolos de segurança, tal como, WEP, WPA e WPA2, atua como uma barreira que impede a conexão de usuários não autorizados a acessem a rede. Em outras palavras, são através do uso protocolos de segurança, que os roteadores permitem a conectividade apenas de dispositivos autorizados façam parte da rede de conexão, essa permissão, ocorre através de um login na rede, com o uso de uma senha. Sendo assim, somente pessoas que possuem a senha podem se conectar aos Wi-Fi que utilizam protocolos de segurança.

Entretanto, nas redes públicas abertas, não utilizam nenhum desses protocolos que garante a segurança dos usuários, porém, em alguns lugares até contam com redes que precisam realizar login através do navegador, mas isso não é sinônimo de segurança.

As redes sem proteção podem oferecer inúmeros riscos aos usuários que estabelecem uma conexão via Wi-Fi aberto, isso ocorre porque qualquer pessoa tem fácil acesso a essa rede, e pode haver um hacker interceptando as informações enviadas pelos usuários.

É muito comum que pessoas mal-intencionadas, tal como, os hackers criem redes falsas com boa conexão, utilizando nomes de estabelecimentos e locais públicos para atrair os usuários a se conectarem a ela.

Quando o usuário se conecta a essa rede, que oferece acesso à internet, ele acredita estar em uma conexão segura, mas ao tratar-se de uma rede falsa, todas as informações acessadas ou enviadas pelo usuário chegam de bandeja para os hackers. Tal como, informações pessoais, logins e senhas, dados bancários, outro risco eminente além do roubo de informações, é a instalação de malweres, que pode danificar o dispositivo do usuário. No entanto, caso o usuário não permita o compartilhamento de arquivos pela rede uma forma de evitar esse tipo de ocorrência é deixar desativo o compartilhamento de arquivos.

Como se proteger quando precisar utilizar uma rede Wi-Fi aberta?

Quando estiver fora de casa, sem acesso a dados móveis, é importante tomar cuidado com as redes públicas de Wi-Fi, mas isso não quer dizer que todas elas podem ser nocivas, no entanto, há medidas cautelares que devem ser adotadas para uma navegação com segurança.

  • Nível de segurança: redes com nível de segurança WPA são mais seguras que as redes WEP.

  • Login de acesso: quando uma rede pede uma senha para se conectar à rede, comumente ela tende a ser mais segura, isso difere do login pelo navegador.

  • VPN: o uso de VPN é uma medida de segurança muito adequada para quem precisa se conectar em uma rede Wi-Fi pública. Pois, a VPN cria uma rede virtual privada que conta com criptografia de ponta. Sendo assim, caso uma pessoa mal-intencionada invada a rede, as informações estarão criptografadas.

  • Evite login em redes sociais e realizar transações: torna-se uma medida importantíssima a se evitar quanto estiver em uma rede pública, caso seja importante realizar uma transação bancaria, opte sempre por utilizar os dados móveis da operadora, é mais seguro.

  • Antivírus: ter um bom antivírus e atualizá-lo sempre que possível, é uma excelente prática para manter-se seguro ao utilizar redes Wi-Fi desconhecidas.

  • Conexões SSL: conexões SSL é super recomendada para redes que não apresentam segurança, isso porque, ela criptografa os dados. É fácil saber se um site possui conexão SSL, basta olharmos para a URL, se ela possui o famoso HTTPS acompanhada do símbolo do cadeado ao lado, é sinônimo que a navegação nesse site é segura e seus dados estão em segurança.

8 visualizações0 comentário